sexta-feira, agosto 24

Crónica dos suburbios

À medida que vão soando os últimos acordes da melodia gasta que teima em tocar, multiplicam-se no seu corpo usado os lúmenes expostos que em ferida não deixam esquecer, nunca, o toque fugaz e sem rosto que entrava dentro de si numa necessidade pulsante de possuir e sentir o êxtase das sensações, que em frením o liberta de todas as esferas pestilentas.
Se antes o que era prazer, os anos metamorfizaram-no em sacrifício, sacríficio de mulher derrotada, na qual a vontade de continuar no alcance da claridade da verdade se cessou. Este, como que rasgado pelo metal gelado de uma foice roubou de si o fundo de lucidez e a conduziu para uma vida de vielas e arrastando-se pelas bermas, chega mesmo a confundir-se com o escuro da noite. Visível aos olhos pretenciosos que se apresentam como Vicente, Carlos, João, Pedro, António, Zé, Tiago; recursos estilísticos e heterónimos de uma personalidade bipolar que a degustam como sendo Cindy, Michelle, Gisela, Dani, Tatiana, Paulinha, Mel.


5 comentários:

Pedro Luis López Pérez disse...

Me ha encantado el contexto de esta crónica de los suburbios. Mimetizarse en lo que no somos...en esa vida irreal.
Me gusta tu blog y, si me lo permites, me hago fiel seguidor de tan bello Espacio, lleno de Sensaciones y Magia...y además desde Portugal, País al quiero, conozco mucho y admiro.( La Fotografía de mi blog está hecha en Fátima).

Pedro Luis López Pérez disse...

He intentado suscribirme como seguidor, pero no encuentro la pestaña para hacerlo.
Un abrazo y Recuerdos para Braga, ciudad en la que pasé muy buenos tiempos.

Por Amor disse...

Sara ... estive aqui pra te conhecer e gostei muito de tudo !!! ...Agradeço por seguir meu modesto cantinho ... agora nosso !!! vou segui-la também ... Com carinho Pedro Pugliese

PauloSilva disse...

Sou novo aqui pelo teu espaço mas acho que irei frequenta-lo mais vezes!!

PauloSilva disse...

Tentarei.
Beijinhos *