quinta-feira, fevereiro 20

As saudades


É. Custa. Custa e doí. Estar longe das pessoas que falam a minha língua, que comem o que eu gosto de comer e que calcam as ruas que agora guardam as minhas histórias. Raios! E as moedas… Até das moedas tenho saudades!
O bom é que isto passa… a passos de caracol, mas passam! A única forma de lidar com a saudade é ser mais esperto do que ela. Em bom português: é preciso passar-lhe a perna. Aprende-se a controlar e, sobretudo, a contornar.
Ter saudades, doí. Doí um bocadinho no coração, mas o mais importante é continuar. Continuar sempre e para a frente. Para a frente porque atrás vem gente!
 
(Enquadramento da minha situação atual: estou em Erasmus em Olomouc, República Checa!)
 
 

4 comentários:

Por Amor disse...

SARA MAIS UM POSICIONAMENTO VERDADEIRO E PERFEITO !!! TUDO PASSA !!! E NÃO VAI DEIXAR DE SEGUIR ADIANTE NUNCA !!! POSSO TE GARANTIR QUE AS MOEDAS SERÃO AS PRIMEIRAS A PASSAR !!! E AS SAUDADES SÓ AS VERDADEIRAS SERÃO SACIADAS !!! COMO ESTA QUE GUARDO DE TI !!! UM LINDO E ABENÇOADO DIA !!!A TI E O MEU BEIJO CARINHOSO DOCE MENINA !!! Pedro Pugliese

Andreia Morais disse...

«A única forma de lidar com a saudade é ser mais esperto do que ela. Em bom português: é preciso passar-lhe a perna. Aprende-se a controlar e, sobretudo, a contornar», não podia estar mais de acordo.
As saudades magoam, mas é sinal de que as coisas valem a pena (ou que valeram). Vais ver que o tempo passa rápido. Aproveita a experiência, não tarda estás de volta :)

Beijinhos*

Belle disse...

força, espero que essa experiência esteja a ser maravilhosa, apesar das saudades, essas manhosas saudades que sempre nos lembram do que amamos e do lugar ao qual pertencemos!

Andreia Morais disse...

Sim, concordo inteiramente contigo, sobretudo quando dizes que as saudades servem para nos abrirem os olhos, mas ainda mais o coração. É mesmo verdade, até porque só sentimos saudades daquilo que nos fez bem, do que nos completou em algum momento, do que nos fez crescer. E para o bem ou para o mal acho que sentir saudades é mesmo das melhores coisas. Quem não as sentem devia ficar preocupado!
Não tens que agradecer, é mesmo de coração :)

Preservar esse lado é bom, precisamente pela surpresa que provoca. Eu acho que não devemos mostrar tudo de uma vez, mas ir desvendando aos poucos. O desconhecido e o mistério são fascinantes.
Não tenho medo disso, muito pelo contrário, gosto imenso de só revelar um bocadinho daquilo que sou. Mas acho que cheguei a essa momento: de mostrar mais um bocadinho de mim, daí ter feito aquela publicação.
«Os melhores livros são os que nos arrebatam. Por isso, não tenhas medo de ser um livro por abrir. Eu sou», mais um vez estou inteiramente de acordo. E sou como tu nesse aspeto, também sou um livro por abrir. Ou que só abriu quem realmente merecia

Beijinhos*