terça-feira, agosto 3

Auto-retrato

Sempre desejei poder ser alguém especial, alguém que marcasse pela sua irreverência, importância, diferença e sobretudo pelo carisma.
Aprendi que não sou de todo especial, nem marco toda a gente pelo meu carisma e pelo meu ser, não sou de todo importante, aliás sou insignificante aos olhos do mundo. Sou diferente, sim sou! sou-o porque admito que é difícil eu identificar-me com alguém, as pessoas são demasiado perfeitas na sua imperfeição, noção que domino e sou soberana.
Posso ser nada para uns e poderei ser algo para outros. Talvez os que me rodeiam... esses são os que mais são capazes de me amar, apoiar,fazer sentir, chorar ou derrotar.
As pessoas que nos ajudam a construir os nossos sonhos, as que fazem parte deles, essas sim, são as importantes, são tão poderosas! Elas dominam e fazem-nos pensar até que estamos viciados nelas, são o nosso centro, um novo "eu".
Os meus sonhos são consequências de momentos,vivências e principalmente de pessoas. No centro deles, normalmente, estou eu, porque ou quero muito "isto" ou gostava de ser "aquilo", mas também neles dominam as pessoas que naturalmente ou impensavelmente passaram a ser "rainhas" deles.

1 comentário:

Celina disse...

Olá Sarita!!

Acredita que a tua marca ficou no meu coração!

Não ficou indiferente a tua presença!

Beijinho